Maverick Cascavel, o Ford venenoso

14 DE SETEMBRO, 2016
Resolução: 1600x900px | 4000x2250px

A cobra cascavel é comum no Brasil e famosa pelo barulho ao vibrar a sua cauda, também sendo considerada uma das mais venenosas do país. Assim como a cobra, o Maverick Cascavel possui todo um veneno em suas articulações, a começar por todo o seu parentesco da família destes répteis rastejantes, grandes inspirações para todo o conjunto do projeto. Além da mecânica, o veneno espalhou-se por seu exterior também, a começar por sua parte estética com o kit externo desenvolvido pelo Irmão do Décio em seu Maverick King Cobra, onde dei leves alterações, tais como duas novas entradas de ar na parte frontal do capô, pára-lamas e bitolas alargadas, spoiler traseiro mais alto com moldura preta côncava logo abaixo (inspirado nos do Mustang Boss 1969) e lanternas traseiras vindas do Ford Galaxie 1974.

Imagem mostrando a dianteira do Ford Maverick "Cascavel"

Algumas partes destas modificações podem utilizar diferentes materiais, como por exemplo os pára-lamas traseiros, que serão remodelados e soldados no metal de mesma especificação da carroceria original para possuírem resistência semelhante, sem risco de trincas em regiões de contraste. Para alívio de peso, itens destacáveis da carroceria, tais como spoiler traseiro, capô, pára-choques e pára-lamas dianteiros podem ser confeccionados em fibra (de vidro ou carbono, dependendo da contenção de gastos do cliente). Outros detalhes como a substituição dos vidros por policarbonato também dariam maior leveza e visual racing ao carro.

Imagem mostrando o detalhe do shaker hood do Ford Maverick "Cascavel"

A motorização pensada para ele é a 392 (M-6007-D392FFT) da Ford Racing com o shaker hood vindo do Torino Cobra Jet 427, basicamente mais que duplicando a força de um Maverick GT 302 V8 original, saltando de 197 cv e 39,5 kgfm a 2400 rpm para 430 cv a 62.2kgfm (em seu estado original), quase transformando este carro em um suicídio sobre rodas, caso não fosse salvo pelos reforços estruturais, gaiola de proteção, suspensão, freios e todo o conjunto dinâmico reajustado para garantir maior segurança.

Imagem mostrando a traseira do Ford Maverick "Cascavel"

Para fechar com os acessórios e detalhamentos, as rodas escolhidas foram as nacionais de época Glicério 1035, levemente alargadas e de maior tala, interior em preto, com os bancos Corbeau GT4 em vinil preto. A cor da carroceria foi um desafio, pois com tantos tons bacanas fica sempre difícil escolher uma, porém o parceiro Allan Beluga da Turbo Tintas deu opções bem interessantes, na qual acabamos por escolher a "Amarelo Ouro Metálico Brilhante". Para finalizar, faixas duplas com uma cobra estilizada no centro em preto fosco foram colocadas para dar um acabamento em conjunto com o brasão "Maverick Cascavel" (inspirado nos Shelby e levemente satirizado com a cobra brasileira) para dar aquele ar de série exclusiva.

Com tantas modificações escolhidas, eu arriscaria dizer que até alguém com ofidiofobia se apaixonaria por um destes. Mas e você, o que achou do Cascavel?

Agradecimentos:

Grupo no Facebook FlatOuters Brasil
Irmão do Décio
Turbo Tintas

Escrito por:

Fundador do Victor Bravo Design, Victor Braga e Bravo é estudante de Engenharia Mecânica, trabalhando também na área de design, com foco principal na customização de automóveis.