A depressão e os desenhos

20 DE DEZEMBRO, 2016
Imagem mostrando o desenho do Ford Belina II "650 CLN"
Resolução: 1600x900px | 4000x2250px

Já se sentiu cansado? E desanimado e cansado para realizar algumas tarefas? Pensar demais em algo, dificuldade para focar ou tomar uma decisão? Eu já e você provavelmente também. Todo ser humano passará por situações de estresse que levantarão estes sintomas, o que torna isto completamente normal, o problema porém é quando estes sintomas são constantes e te perseguem por um bom tempo, o que pode durar meses ou até anos. Caso isto aconteça, é provável que esta pessoa sofra de "depressão".

A depressão tem sido um tema bem discutido nestes últimos anos, alguns até a chamam de "doença do século XXI", onde cada vez mais a cobrança profissional e de sucesso tem sido cobrada e acelerada. Na atual geração em que vivemos a formação educacional e especialização é um requisito cada vez mais forte, casos de jovens empreendedores atingindo tal sucesso. Isto tudo acaba de certa maneira acaba virando um meio comparativo no qual muitos acabam cobrando demais de si mesmos.

Imagem mostrando o desenho da frente da Ford Belina II "650 CLN"

"Mas caramba, pra quê tanta seriedade numa postagem de desenho?". Pois bem, o desenho desta Belina tem uma história que pode ser triste para muitos, mas servirá de aprendizado e alerta para alguns. Mas relaxe que aqui  também trato de entretenimento e irei falar sobre carros e dar algumas dicas quanto ao assunto do tema.

A ideia da Belina surgiu no grupo do Facebook FlatOuters, onde um dos membros compartilhou uma carta de despedida de Claudio Leal Neto, um jovem publicitário amante de carros que sofria dos males de ansiedade, crise de pânico, males que eu mesmo admito que já tive. Em um de seus desejos Claudio dizia que infelizmente não poderia concretizar o plano de construir a sua Belina com motor V8 central traseiro de 650cv que tinha em sua mente. 

Posso até não conhecer o Claudio pessoalmente, mas tive empatia por alguns momentos que o mesmo passou e decidi ao menos fazer a ilustração do plano de personalização de sua Belina. Já que tenho paixão por este mundo das ilustrações, por que não usar isto para esta causa? Eis o resultado...

O MONSTRO DE 650CV

Imagem mostrando o desenho do detalhe do motor da Ford Belina II "650 CLN"

Atendendo ao pedido do motor central e cavalaria pesada, era quase que obrigatório que o projeto seguisse um visual mais racing, onde busquei como principal fonte de inspiração o Ford GT40 e Shelby GT350 de corrida, com inspirações desta é quase certo que ficaria bom, porém o maior desafio era adaptar isto na familiar e civil Belina. Os pneus largos, rodas Halibrand e motor V8 302 Windsor 4.9 vieram do GT40 e o esquema de cores branco com listas azuis vieram do GT350. Nada mais Ford do que isto, não?

O bodykit também foi todo reajustado, com linhas curvas e largas, entrada de ar lateral, novos pára-choques, aerofólio ajustável, conjunto ótico dos faróis e lanternas com detalhes em preto brilhante e tampa do porta-malas refeita para comportar a nova traseira, que agora possui dois enormes escapes centrais e saídas de ar, também inspiradas no GT40.

Em seu interior espere tudo digno de um carro capaz até de participar de provas de LeMans: Gaiola de proteção para aumentar a segurança e rigidez da carroceria, bancos Sparco Sprint, cintos 5 pontas vermelhos, volante Lenker Rosetti, painel com mostradores completos e interior revestido em alcantra (mais leve que o couro) azul. Um Ford de corrida de respeito, eu diria...

Imagem mostrando o detalhe da traseira da Ford Belina II "650 CLN"

UM POUCO SOBRE MIM E O PROBLEMA

Os desenhos por um bom tempo foram uma fuga para mim, um lugar onde pessoas admiraram (e alguns admiram até hoje) meu trabalho e meu esforço, criando uma barreira que me separavam de todos os outros problemas, o que me fazia os negligenciar ou ficar postergando, me mantendo sempre numa zona de conforto e quando chegava o momento de enfrentar, a ansiedade e o pânico batiam na porta... e isto não é nada bom.

Mas acalme-se, nem tudo está perdido. Digo que não é bom porque postergando as coisas tendem a se acumular e uma hora a situação aperta, gerando pânico. Não podemos fugir de nossos problemas ou ficar com medo deles, temos sempre que buscar solucioná-los, sempre respeitando também os nossos limites. Se você possui problemas não deixe que eles se acumulem, pois uma hora a coisa pode crescer e dar a falsa impressão que você não consegue lidar ou solucionar, o que pode gerar ansiedade, tristeza e em casos mais sérios uma profunda depressão.

Depressão é algo sério e não deve ser levado como frescura ou algo de gente fraca, pois existe uma grande diferença entre as pessoas que se fazem de coitadas para manipular e as que realmente possuem o problema. Eu não possuo formação acadêmica no assunto, mas gosto de entender e estudar um pouco do comportamento humano e tenho amigos que trabalham neste ramo. Não ficarei descrevendo patologias e soluções certeiras, mas darei alguns direcionamentos e dicas para caso você (ou algum amigo seu que tenha) esteja passando por isto e queira buscar uma solução.

Imagem mostrando o desenho da traseira da Ford Belina II "650 CLN"

PROCURE UM BOM PROFISSIONAL

Apesar de muitos ainda terem um preconceito, procurar um profissional da área de psicologia para fazer uma avaliação é o ideal. Este profissional buscará entender as causas e sintomas, indicando as melhores formas de superar ou aprender a lidar com o problema. Lembre-se que ele dedicou anos a estudar e saberá informar muito melhor do que você tentar buscar as causas por conta própria, sem contar que o olhar imparcial de um profissional pode enxergar muitas coisas que você talvez não consiga. As vezes admitir que precisa de ajuda é um passo muito difícil de se dar, os problemas sempre parecem sem solução, porém um profissional pode ajudar na hora de  enfrentá-los e aprender a lidar com eles.

NÃO GUARDE TUDO PARA SI MESMO

Uma das coisas que mais gera agonia (pelo menos para mim) é ficar guardando os pensamentos somente para si, com vergonha de contá-los ou achar que pode solucioná-los sozinho. As vezes o simples fato de "pôr para fora" já ajuda a diminuir o nível de tensão e estresse. Se tiver um bom amigo troque algumas ideias com ele para relaxar um pouco, mas nunca se esqueça também de procurar um profissional caso estes problemas persistam constantemente.

NÃO SE COBRE DEMAIS

Tente conhecer os seus limites e não fique se martirizando. Erros no presente e passado podem acontecer, mas os mesmos geram aprendizados para o amadurecimento futuro. Pode ser difícil para alguns, mas é necessário ter paciência e o autoconhecimento para entender seus limites, funcionamento do seu corpo e mente são essenciais.

Imagem mostrando o detalhe da roda dianteira da Ford Belina II "650 CLN"

Poderia citar aqui diversas outras dicas que fui aprendendo com o tempo, porém nem tudo o que surtiu efeito em mim pode surtir efeito para você. Considere isto apenas como um pontapé inicial para buscar mais conhecimento e ajuda sobre esta área. Como já citado anteriormente, o profissional é essencial para buscar o melhor caminho, onde cada um terá problemas e possíveis soluções distintas. Capaz de superar ou aprender a conviver todos somos, basta ter foco e persistência que com o tempo as coisas vão se ajeitando.

Um grande abraço e vamos em frente! :)

Agradecimentos:

FlatOut
Grupo no Facebook FlatOuters Brasil
Pedro Henrique Martins

Escrito por:

Fundador do Victor Bravo Design, Victor Braga e Bravo é estudante de Engenharia Mecânica, trabalhando também na área de design, com foco principal na customização de automóveis.